Pesquisar no blog

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Casa de Papel


"Em parceria com a Universidade de Bauhaus (Alemanha), Gerd Niemöller criou uma casa feita de papel. O material utilizado na construção segue o padrão usado na fabricação de aviões e outros produtos em que o peso e a resistência são fatores importantes, segundo a revista alemã 'Der Spiegel'.

Gerd Niemöller, um dos fundadores da empresa suíça 'The Wall AG', que detém a patente do material utilizado na construção de casas de papel, disse que cada residência vai custar cerca de US$ 5 mil (R$ 11,9 mil).

'Desde o começo, nosso objetivo era criar uma casa prática, ecologicamente sustentável e, mais importante, barata para as favelas da Terra', disse Gerd Niemöller, que desenvolveu o material utilizado nas casas. As primeiras casas de papel devem ser construídas no Zimbábue."
Fonte: G1.com.br

Fernando Lara, em seu blog, aproveita a expressão “Massie Produced” do título de um artigo sobre a casa de Crambrook de Bill Massie para falar sobre mass-production na arquitetura.

Para Fernando, o artigo argumenta que "se trata de uma edificação única, uma peça de design by Massie com o precinho de 750.000 dólares". E provoca questionando "porque a idéia de produção de edifícios em escala industrial assusta tanto?"

Para concluir, Fernando cita Lazor: "se as casas são todas desenhadas pelos mesmos arquitetos e construídas com o mesmo sistema construtivo desenvolvido por nós, porque elas seriam arquitetura se fizermos 10 e deixariam de ser arquitetura se fizermos 200?" De fato a "obsessão com a exclusividade e com a originalidade nos impede de alçar vôos mais altos e cumprir um papel muito mais relevante na sociedade".

Então, comentando o post do Fernando, concordei integralmente com ele e citei o Lelé, ícone do processo de fabricação em massa na arquitetura, cujos componentes construtivos pré-fabricados concebidos por ele tornam-se assim executáveis por qualquer pessoa, em qualquer lugar, que queira fazer uso de seus sistemas construtivos para resolver as necessidades arquitetônicas específicas da obra em questão, nas palavras de Yopanan Rebello.

Dito isso, a casa de papel está mais para Massie ou Lazor e Lelé? Ou é uma categoria a parte? A casa de papel resolve o problema das "favelas da Terra" ou outro problema?

Enfim, o que acham da casa de papel?

4 comentários:

Suellen... disse...

Na verdade casas de papel já existem nas favelas há muito tempo. Essas são apenas mais bonitinhas, com design assinado, que concordo com você, "nos impede de alçar vôos mais altos". E moradia não é nem de longe o único problema nas favelas...

Marco Antonio Borges Netto - Marcão disse...

Bem vinda, Suellen.

Já vi até casa feitas de caixas longa vida.

Realmente a moradia não é nem de longe o único problema nas favelas e não pode ser tratada de maneira isolada.

Abraços.

Bernardo disse...

Concordo e discordo. Concordo por não termos que ter como prioridade casas bonitinhas de designer famoso. A primeira coisa que temos que deixar de lado é a vaidade. Mas tambem temos que deixar de associar propriedade a moradia. Quando nos referimos a moradia, de uma maneira geral estamos falando de cama, quarto, janela, arvore, quintal, rua, bairro, etc.. Moradia é um problema fundamental, para mim não resta duvida. A nescessidade basica de uma pessoa é saude e para isso nescessariamente precisa de hambiente salubre.

Marco Antonio Borges Netto - Marcão disse...

Concordo, Bernardo.

Uma moradia digna é fundamental.

Abraços.