Pesquisar no blog

domingo, 1 de março de 2009

Mais uma vez o desenho


Saiu na Folha de São Paulo: "Arquitetura é uma das carreiras que pedem curso específico"

Ou seja, o vestibulando que deseja cursar arquitetura precisa saber, basicamente: desenho à mão livre, desenho de observação, noções de perspectiva, luz e sombra, proporção e enquadramento. O candidato fará provas específicas que envolvem desenho.

Segundo Rafael Perrone, professor da FAU-USP, "a prova visa selecionar alunos com capacidade de pensar e de se expressar por meio do desenho. Segundo ele, a principal diferença entre a prova específica de arquitetura e a de artes plásticas é que a primeira avalia se aluno enxerga o desenho como resultado de uma reflexão, e a de artes plásticas analisa o resultado final do desenho."

Segundo a reportagem, "os exames de habilidade específica visam selecionar pessoas que já tenham alguma noção do que será ensinado no curso, para que não haja calouros completamente perdidos nas aulas."

O desenho é importantíssimo para o arquiteto. Mas vale lembrar que ninguém, absolutamente ninguém, precisa ter dom ou talento para desenhar e nem sempre quem possui dom e talento para desenhar serão bons arquitetos e devem optar por essa carreira. E, por óbvio, a escola deve orientar bem o aluno que "boiar" nas aulas de desenho e preparar adequadamente os professores que ministrarão as aulas de desenho e disponibilizar monitores e técnicos para auxiliar professores e alunos.

Outro dado importante: a arquitetura e urbanismo não se resume ao desenho. De que adianta desenhar maravilhosamente bem ou ter noção de desenho se não sabe por onde começar a projetar?

Fato é que realmente muitos alunos possuem dificuldades para desenhar e muitos professores dificuldades para ensinar. E que muitos estudantes pensam (?) que se projeta na base da "tentativa e erro" e do "gosto-não gosto".

O que quero dizer é o seguinte: já que a maioria dos alunos não leem nada ou quase nada; já que a maioria possui dificuldades para desenhar; já que os professores possuem dificuldades de metodologia de ensino; então, vamos selecionar alunos que sabem desenhar. Se não estudarem teoria, pelo menos eles saberão desenhar e formaremos profissionais menos incompletos. Parece ser essa a justificativa para exigir "habilidades específicas" para ingressar no curso de arquitetura e urbanismo.

Sinceramente, acho bobagem essa exigência. Porque, como disse, o desenho na arquitetura e urbanismo, apesar de ser importante, não é fundamental. Corre-se, então, o risco da exigência sair pela culatra. Pessoas com um perfil excelente para o curso, possuindo outras habilidades necessárias, mas que não sabem desenhar ou não tenham noção de desenho (e que poderão adquirir essa habilidade na escola), serão reprovadas. Repito: só porque a pessoa tem noção de desenho não implica que será boa arquiteta urbanista.

Penso que se as escolas exigirem que o aluno projete do primeiro ao último semestre, com base nas disciplinas teóricas e de desenho, o aluno aprenderá não só a desenhar, como a ser um arquiteto urbanista que poderá escolher como exercer a profissão. Projetando, ensinando, criticando ou tudo isso.

3 comentários:

Ricardo Rossin disse...

Olha Marcão, sei là, penso que seria como exigir de um mèdico que ele gostasse de ver sangue, um veterinàrio que não tivesse medo de cachorros e um dentista que não ligasse para mal hàlito...rs...sabe, são coisas tão bobas...Apesar de eu gostar muito de desenhar, entrei na arquitetura por conta da matemàtica (quem diria) e pelo desenho, claro...

Essas provas são desnecessàrias...lògico que ajuda saber desenhar, mas não acho que seria critèrio de exclusão...

Alberto disse...

Marcão eu concordo em linhas gerais, mas com a seguinte ressalva: em algum momento do curso o cidadão tem que aprender a desenhar.

Depois de formado então, nem se fala.

Acho que ainda estamos longe do mundo em que será possivel projetar sem conseguir desenhar a mão.

Então acho que o sistema é o pior dos mundos: pré-seleciona quem tem alguma habilidade com desenho (certamente não arquitetonico, que é um tipo especifico de desenho manual) como desculpa para não ter que ensinar.

O contrario é melhor e mais real: admitam que ninguem saibam e ensinem.

Mas quem não apreder, do meu ponto de vista, vai ser um PÉSSIMO arquiteto.

Marco Antonio Borges Netto - Marcão disse...

Ricardo e Alberto,

Concordo com ambos.

E reitero: Desenhar é importante, mas não é fundamental na arquitetura. O cara deve aprender a desenhar na faculdade. E como disse, se a escola exigir que o aluno projete desde o início até o fim, ele aprenderá a desenhar.

Abraços.